Como começar?

Sua empresa necessita de uma abordagem ampla e universal para os riscos aos quais está exposta. A partir dessa demanda, a Hellner oferece à sua empresa um modelo de gestão de risco que não se inicia e termina na contratação de uma apólice de seguro. A nossa consultoria vai muito além.

O nosso trabalho engloba:

  • Identificação dos riscos existentes (patrimoniais, financeiros, de pessoas, estratégicos).
  • Classificação dos riscos em freqüência e extensão (pequenos, médios ou grandes), que subsidia a decisão de quais riscos devem ser assumidos pela empresa, quais podem ser reduzidos ou eliminados e quais serão transferidos para uma seguradora através de uma apólice.
  • Cotação do mercado segurador para os riscos a serem segurados.
  • Aquisição do contrato de seguro.
  • Acompanhamento contínuo e gerenciamento da apólice.
  • Reavaliação periódica dos riscos.
  • Análise e liquidação de sinistros.
  • Manutenção das apólices (renovações, endossos, etc).

A Hellner é a sua representante no mundo dos seguros.

Seguro auto: roubos de carros cresce no país

O último levantamento da Superintendência de Seguros Privados (Susep) aponta que fazer um seguro autose torna cada vez mais imprescindível. De acordo com a pesquisa, o roubo de veículos com algum tipo de seguro aumentou 7,1% em todo o território nacional. A informação se refere ao primeiro semestre de 2014 na comparação com o período do ano anterior.

Ao todo, foram 79.257 veículos roubados durante os seis primeiros meses do ano anterior. Por outro lado, houve crescimento do número de veículos com seguro auto, de 3,3%.

São Paulo foi o estado que apresentou o maior índice de roubos proporcional à frota segurada (1,5%). do levantamento. Em quatro regiões metropolitanas paulistas pesquisadas, o aumento em comparação ao índice anterior foi de 16,5%.

No que diz respeito a regiões metropolitanas, no Rio de Janeiro o índice de roubos cresceu 15,3%, seguido por Belo Horizonte (3,2%). A capital gaúcha, por sua vez, teve menos roubos registrados no período. O índice medido pela Susep em Porto Alegre apresentou queda de 1,3%.

Já o Distrito Federal viu seu índice quase duplicar ao registrar aumento de 44,4% em relação ao obtido no último levantamento.

Entre os veículos mais visados pelos criminosos, estão motos Honda de até 450 cilindradas e o Gol. No caso da moto, foram 5.232 unidades roubadas para uma frota de 356 mil. Já o modelo da Volkswagen registrou o maior número de roubos em números absolutos: 7.830 unidades no primeiro semestre de 2014.